Professores, pesquisadores, profissionais e interessados em informações e discussões de assuntos relacionados ao setor elétrico, ao mercado de energia elétrica e aos aspectos profissionais da engenharia.

ÚLTIMAS

Últimos posts

domingo, 27 de setembro de 2020

ORNL composite increases current capacity of copper wires; ultra-efficient, power-dense electric motors

Scientists at Oak Ridge National Laboratory have created a composite that increases the electrical current capacity of copper wires, providing a new material that can be scaled for use in ultra-efficient, power-dense electric vehicle traction motors.

Nano_cu_08noLabels

ORNL scientists used new techniques to create long lengths of a composite copper-carbon nanotube material with improved properties for use in electric vehicle traction motors. Credit: Andy Sproles/ORNL


The research is aimed at reducing barriers to wider electric vehicle adoption, including cutting the cost of ownership and improving the performance and life of components such as electric motors and power electronics. The material can be deployed in any component that uses copper, including more efficient bus bars and smaller connectors for electric vehicle traction inverters, as well as for applications such as wireless and wired charging systems.

To produce a lighter weight conductive material with improved performance, ORNL researchers deposited and aligned carbon nanotubes on flat copper substrates, resulting in a metal-matrix composite material with better current handling capacity and mechanical properties than copper alone.

Li

The power losses associated with the electrical resistance of copper (Cu) have generated considerable interest in the development of advanced conductors that incorporate carbon nanotubes (CNTs) into the Cu matrix—ultraconductive Cu (UCC) composites—to increase energy efficiency in various industrial and residential applications, ranging from electric power transmission and rotating machinery to electronic devices. To meet this demand, we describe an electrospinning-based polymer nanofiber templating strategy for the fabrication of UCC composites with electrical and mechanical performance exceeding that of Cu.

Our approach involves electrospinning of polyvinylpyrrolidone (PVP)-based solutions containing CNTs into aligned PVP/CNT nanofibers onto Cu foil substrates, followed by vacuum-assisted thermal removal of organic solvent/polymer from the CNT matrix to achieve a uniformly distributed CNT layer on the Cu surface. Following additional Cu deposition, the Cu–CNT–Cu composites demonstrated similar electrical conductivity, higher current carrying capacity, and improved mechanical properties compared with those obtained from reference Cu.

Importantly, after the heat treatment, Raman analysis of the CNT network displayed an increased metallic character that supports the enhanced electrical properties of the UCC composites. Thus, we believe that these performance characteristics together with the commercial viability of the present approach could open new possibilities in designing advanced conductors for a broad range of electrical systems and industrial applications.

—Li et al.

Incorporating carbon nanotubes (CNTs) into a copper matrix to improve conductivity and mechanical performance is not a new idea. CNTs are an excellent choice due to their lighter weight, extraordinary strength and conductive properties. However, past attempts at composites by other researchers have resulted in very short material lengths, only micrometers or millimeters, along with limited scalability, or in longer lengths that performed poorly.

The ORNL team decided to experiment with depositing single-wall CNTs using electrospinning, a commercially viable method that creates fibers as a jet of liquid speeds through an electric field. The technique provides control over the structure and orientation of deposited materials, explained Kai Li, a postdoctoral researcher in ORNL's Chemical Sciences Division. In this case, the process allowed scientists to successfully orient the CNTs in one general direction to facilitate enhanced flow of electricity.

The team then used magnetron sputtering, a vacuum coating technique, to add thin layers of copper film on top of the CNT-coated copper tapes. The coated samples were then annealed in a vacuum furnace to produce a highly conductive Cu-CNT network by forming a dense, uniform copper layer and to allow diffusion of copper into the CNT matrix.

Using this method, ORNL scientists created a copper-carbon nanotube composite 10 centimeters long and 4 centimeters wide, with exceptional properties. The microstructural properties of the material were analyzed using instruments at the Center for Nanophase Materials Sciences at ORNL, a US Department of Energy Office of Science user facility.

Researchers found the composite reached 14% greater current capacity, with up to 20% improved mechanical properties compared with pure copper, as detailed in a paper in ACS Applied Nano Materials.

By embedding all the great properties of carbon nanotubes into a copper matrix, we are aiming for better mechanical strength, lighter weight and higher current capacity. Then you get a better conductor with less power loss, which in turn increases the efficiency and performance of the device. Improved performance, for instance, means we can reduce volume and increase the power density in advanced motor systems.

—Tolga Aytug, lead investigator for the project

The work builds on a rich history of superconductivity research at ORNL, which has produced superior materials to conduct electricity with low resistance. The lab's superconductive wire technology was licensed to several industry suppliers, enabling such uses as high-capacity electric transmission with minimal power losses.

While the new composite breakthrough has direct implications for electric motors, it also could improve electrification in applications where efficiency, mass and size are a key metric, Aytug said. The improved performance characteristics, accomplished with commercially viable techniques, means new possibilities for designing advanced conductors for a broad range of electrical systems and industrial applications, he said.

The ORNL team also is exploring the use of double-wall CNTs and other deposition techniques such as ultrasonic spray coating coupled with a roll-to-roll system to produce samples of some 1 meter in length.

Electric motors are basically a combination of metals: steel laminations and copper windings. To meet DOE's Vehicle Technologies Office's 2025 electric vehicle targets and goals, we need to increase power density of the electric drive and reduce the volume of motors by 8 times, and that means improving material properties.

—Burak Ozpineci, manager of the ORNL Electric Drive Technologies Program and leader of the Power Electronics and Electric Machinery group

The work was funded by DOE's Office of Energy Efficiency and Renewable Energy, Vehicle Technologies Office.

Resources

  • Kai Li, Michael McGuire, Andrew Lupini, Lydia Skolrood, Fred List, Burak Ozpineci, Soydan Ozcan, and Tolga Aytug (2020) "Copper–Carbon Nanotube Composites Enabled by Electrospinning for Advanced Conductors" ACS Applied Nano Materials 3 (7), 6863-6875 doi: 10.1021/acsanm.0c01236


--
Sandro Geraldo Bagattoli

--
You received this message because you are subscribed to the Google Groups "Mercado de Energia Elétrica" group.
To unsubscribe from this group and stop receiving emails from it, send an email to meefurb+unsubscribe@googlegroups.com.
To view this discussion on the web visit https://groups.google.com/d/msgid/meefurb/CAPW0GncHbMzzz_ekS-QW6yX0pX6YUAdgdKBL50n5iOrw%3D21fcA%40mail.gmail.com.

sábado, 26 de setembro de 2020

Porque você devia começar sua carreira na indústria de energias renováveis

A indústria de energias renováveis ​​tem ganhado força nos últimos anos – e até muito recentemente o Acordo de Paris de 2015, (no qual 195 países se comprometeram com um plano global para evitar mudanças climáticas perigosas e limitar o aquecimento global) era visto como mais um passo para a frente que apoiaria o crescimento. Embora o futuro deste acordo seja agora incerto, já foram dados passos enormes no sentido de cumprir estas iniciativas; só no ano passado houve um declínio significativo dos combustíveis fósseis poluentes, ao mesmo tempo que houve um aumento nas energias renováveis, principalmente eólica e solar.

 

À medida que essas alternativas modernas começam a assumir o controle, este se tornará um setor cada vez mais interessante para se trabalhar e, portanto, o gerente da NES da Flórida, David Shroder, nos ajudou a explorar isso em mais detalhes …  

 

VOCÊ PODERIA COMEÇAR NOS CONTANDO A HISTÓRIA DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS?

Antes da revolução industrial e do uso do carvão, nos anos 1800, quase toda a energia usada era renovável. Tudo, desde a energia animal, energia da água e moinhos de vento esmagando grãos, contribuiu para o nosso consumo de energia. O final dos anos 1800 viu o desenvolvimento da tecnologia solar e depois que a teoria do Pico do Petróleo se tornou popular na década de 1970, a energia renovável foi promovida como uma forma de escapar da dependência do petróleo. O progresso tecnológico viu o custo de produção de energia renovável cair consideravelmente desde a década de 1970 e 2014 viu mais de 1.7000 gigawatts de energia fornecida por fontes renováveis.

 

NOS PRIMEIROS DIAS DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS, ALGUÉM ESPERAVA QUE FOSSE TÃO GRANDE QUANTO É AGORA?

A comunidade científica e aqueles envolvidos no desenvolvimento de energia renovável sempre esperaram que fosse tão grande, senão maior, do que é agora. Nenhuma autoridade menor em energia do que Werner von Siemens, o fundador da Siemens, expressou que o valor prático da energia solar será que o fornecimento continuará por muito tempo depois que todas as jazidas de carvão se esgotarem.

 

QUAL FOI A RESPOSTA INICIAL ÀS ENERGIAS RENOVÁVEIS?

Os primeiros dias da energia renovável moderna viram uma adoção lenta, principalmente devido ao custo envolvido na geração de eletricidade significativa a um custo comparável ao dos combustíveis fósseis. Desde 2004, entretanto, o aumento da eficiência da tecnologia, juntamente com os subsídios governamentais aprimorados, tem visto globalmente a capacidade de energia renovável crescer entre 10 e 60% ano a ano.

 

VOCÊ ACHA QUE CONTINUAREMOS A VER UM DECLÍNIO NOS MÉTODOS TRADICIONAIS DE PRODUÇÃO DE ENERGIA E UM AUMENTO NAS ENERGIAS RENOVÁVEIS?

Absolutamente. A Agência Internacional de Energia prevê que até 2061 mais da metade da eletricidade mundial será produzida por energia solar. A energia eólica atualmente é responsável por cerca de 4% do uso mundial de eletricidade e isso continua a crescer à medida que a adoção nos EUA e na China cresce a um ritmo acelerado.

 

VOCÊ ACHA QUE AS ENERGIAS RENOVÁVEIS ​​NOS AJUDARÃO A CUMPRIR AS METAS DE REDUÇÃO DAS EMISSÕES DE CARBONO?

O uso de energia renovável terá um grande impacto sobre o nosso sucesso em atingir as metas estabelecidas para reduzir as emissões de carbono. A tecnologia de energia renovável às vezes é vista como um luxo caro pelos países em desenvolvimento, mas como o custo por quilowatt de energia produzida a partir de fontes renováveis, vimos países que dependem fortemente de combustíveis fósseis investirem agressivamente em renováveis. Em 2015, por exemplo, China, Índia e Brasil investiram mais de US $ 156 bilhões na produção de energia renovável.

 

O REINO UNIDO TEVE UM DIA "SEM CARVÃO" – O QUE ISSO SIGNIFICA PARA A INDÚSTRIA?

O dia 'sem carvão' foi um divisor de águas para a indústria de energia, globalmente, não apenas no Reino Unido. O Reino Unido foi o primeiro país a usar carvão para gerar eletricidade, mas o dia teve mais do que uma relevância simbólica. Naquele dia, 34% da energia do Reino Unido era gerada por vento, energia solar ou biomassa. Os ministros do Reino Unido disseram que querem eliminar o uso da energia a carvão até 2025 e o dia "sem carvão" é o primeiro passo para atingir esse objetivo.

 

VOCÊ DIRIA QUE AS ENERGIAS RENOVÁVEIS ​​SÃO UMA DAS MAIORES FONTES DE ENERGIA NO MOMENTO?

Usando apenas os números, é difícil argumentar que as energias renováveis ​​não são os setores de crescimento mais rápido do setor de energia. Nos últimos anos, assistimos a um crescimento exponencial tanto em empregos como em investimentos em tecnologias renováveis ​​e, apesar dos preços baixos do petróleo e das mudanças nas políticas do governo dos EUA, as perspectivas continuam muito positivas.

 

VOCÊ CONCORDA QUE A ENERGIA EÓLICA E SOLAR SE TORNARÃO ATORES-CHAVE NO ATENDIMENTO ÀS DEMANDAS DE ENERGIA? 

O uso de energia eólica e solar são vitais para atender às necessidades de energia do futuro. A natureza dos combustíveis fósseis sendo finita significa que temos que nos tornar mais dependentes de outras fontes de energia. A energia eólica e solar terão um papel fundamental no desenvolvimento de uma ampla estratégia de produção de energia e, à medida que a eficiência, o custo e as tecnologias melhorarem, ela continuará a crescer. No dia 'sem carvão' do Reino Unido, quase um quarto das demandas de energia do país foram atendidas apenas pela energia solar e eólica.

 

COMO É TRABALHAR NESTE SETOR?

Trabalhar na indústria de energias renováveis ​​tem sido incrivelmente empolgante. O setor investiu muito e, nos EUA, a profissão que mais cresce é a de técnico em vento. Há um burburinho em torno de cada convenção de que você participa e um verdadeiro sentimento de que as energias renováveis ​​são o próximo grande sucesso.

 

A TENDÊNCIA É QUE HAJA MAIS HOMENS DO QUE MULHERES NAS INDÚSTRIAS DE PRODUÇÃO DE ENERGIA – VOCÊ DIRIA QUE O MESMO OCORRE NA INDÚSTRIA DE ENERGIAS RENOVÁVEIS ​​OU TENDE A ENCONTRAR MAIS MULHERES TRABALHANDO AQUI?

Cerca de um terço das pessoas que trabalham nas indústrias solar e eólica (nos EUA) são mulheres e isso é comparável às estatísticas tradicionais de geração de energia.

 

COMO É O RECRUTAMENTO NESTE SETOR?

Muito variado! O amplo escopo de funções disponíveis neste setor significa que há algo para quase todos. De viajar de um local para outro, escalar torres eólicas e substituir caixas de engrenagens, à Engenharia Civil e Pesquisa e Desenvolvimento, a indústria de energias renováveis ​​é um lugar estimulante para trabalhar com oportunidades constantes.

 

QUAL PAÍS VOCÊ DIRIA QUE ESTÁ ASSUMINDO A LIDERANÇA QUANDO SE TRATA DE ENERGIA RENOVÁVEL E POR QUÊ?

Como seria de se esperar, os países com maior uso de energia estão produzindo mais energia de fontes renováveis. A China, por exemplo, produz mais de duas vezes mais energia renovável do que qualquer outro país. Em seguida, vêm os EUA e o Brasil. Dito isto, porém, a Europa lidera a adoção e a inovação. A Dinamarca tem sido pioneira em energia eólica há muito tempo e parece estar no caminho certo para produzir mais de 50% de suas necessidades de energia a partir do vento até o final da década. A Alemanha também está na vanguarda da adoção de energias renováveis. Em um domingo de maio passado 99,3% da eletricidade usada na Alemanha foi produzida por Eólica, Solar ou Biomassa.

 

COMO AS ENERGIAS RENOVÁVEIS ​​MUDARAM AO LONGO DOS ANOS?

A principal mudança nos últimos anos foi o avanço da tecnologia. O aumento da eficiência, especialmente no Solar, viu o custo das energias renováveis ​​reduzir drasticamente. Para que a energia renovável continue a crescer no ritmo que cresceu na última década, reduzir o custo por quilowatt é vital.

 

O QUE, SE ALGUMA COISA, O SURPREENDEU NO SETOR?

O nível de dedicação, trabalho árduo e foco das pessoas do setor realmente me surpreendeu. Quer se trate de técnicos de manutenção de turbinas eólicas, dirigindo de um local para outro, para as várias equipes de P&D com as quais trabalhamos, impulsionando os avanços na tecnologia, fiquei surpreso e impressionado com o quão comprometidas com a indústria essas pessoas são.

 

QUAL É A PARTE MAIS IMPRESSIONANTE DESTA INDÚSTRIA?

Para mim, a capacidade de gerar eletricidade significativa a partir do nada é sempre impressionante. Eu moro em Orlando e dirigir por aí, vendo painéis solares sendo usados ​​para gerar a energia que o dia quente e ensolarado está produzindo para fazer meu ar-condicionado funcionar, é sempre impressionante para mim!

 

COMO O BREXIT E AS ELEIÇÕES NOS EUA AFETARAM A INDÚSTRIA DE ENERGIAS RENOVÁVEIS?

É muito cedo para dizer realmente. Inicialmente aqui nos Estados Unidos, após a eleição, houve algumas preocupações de alguns de nossos clientes da indústria eólica, mas isso já quase acabou e está de volta ao normal!

 

QUAL É O FUTURO DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS? COMO ISSO VAI MUDAR?

As energias renováveis ​​têm, inegavelmente, um futuro brilhante. Embora a mudança climática continue sendo uma questão controversa nos Estados Unidos, a ciência é geralmente aceita e, com quase todos os países procurando fontes de energia abundantes e baratas, as energias renováveis ​​continuam a desempenhar um papel importante e crescente na solução.

 

QUE CONSELHO VOCÊ DARIA A ALGUÉM QUE PROCURA TRABALHAR NESTA INDÚSTRIA?

Eu aconselharia qualquer pessoa interessada no setor a explorar os diversos tipos de cargos disponíveis. Os planos de carreira são bem definidos e as oportunidades oferecidas às pessoas que desejam trabalhar duro e aprender todos os dias são ilimitadas.

 

Um bom exemplo disso é um senhor com quem trabalhei nos últimos seis meses. Ele começou como Técnico Eólico, escalando turbinas de 300 pés e fazendo trocas de óleo. Ele trabalhou duro, fez perguntas e aprendeu à medida que avançava e progrediu na empresa até a posição de VP de Operações e Manutenção. Sua vida foi mudada pelas energias renováveis ​​e é sempre emocionante ver essa progressão aberta a qualquer pessoa.

 

VOCÊ ESTÁ PROCURANDO ENTRAR OU PROGREDIR NO SEMPRE CRESCENTE SETOR DE ENERGIAS RENOVÁVEIS?

Agora é o momento perfeito para dar o passo e temos várias funções disponíveis em locais em todo o mundo.

https://opetroleo.com.br/porque-voce-devia-comecar-sua-carreira-na-industria-de-energias-renovaveis/

sexta-feira, 25 de setembro de 2020

ENC: Webinars da Série Fotovoltaica / Nova associação quer isenções de ICMS no Nordeste


Fovotolt On Grid

 

Growatt




 

Kehua




 

Webinar EM



 

Summit


 

 

ARANDA EDITORA TÉCNICA E CULTURAL
Al. Olga, 315 | 01155-900 São Paulo, SP - Brasil
Fale com a Redação: mauro@arandaeditora.com.br
Para anunciar: comercialfv@arandaeditora.com.br

 

Aranda

 

Se você não deseja mais receber nossos e-mails, cancele a sua inscrição.

sábado, 19 de setembro de 2020

ENC: PDE 2030 projeta impactos sobre GD / Cepel investe em laboratório de redes inteligentes com FV

 


Fovotolt On Grid

 

Kehua



CONTEÚDO DE MARCA

 


 

Growatt




 

Webinar EM




 

 

ARANDA EDITORA TÉCNICA E CULTURAL
Al. Olga, 315 | 01155-900 São Paulo, SP - Brasil
Fale com a Redação: mauro@arandaeditora.com.br
Para anunciar: comercialfv@arandaeditora.com.br

 

Aranda

 

Se você não deseja mais receber nossos e-mails, cancele a sua inscrição.

sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Análise de dados e IoT tornam escritórios e indústrias mais seguros, sustentáveis e eficientes

O mundo mudou e os escritórios e espaços industriais estão cada vez mais tecnológicos. Se não bastasse isso, a vida de trabalho pós-pandemia deve sofrer mudanças significativas, exigindo ambientes mais flexíveis e adaptáveis. E essa premissa vale também para os sistemas de iluminação, que assim como outros sistemas, se tornaram mais inteligentes e conectados.

 

Quem descobriu os ganhos dessas soluções foram os responsáveis pelo desenvolvimento de um conjunto de escritórios inovador e multifuncional no distrito empresarial de Zuidas, em Amsterdam, na Holanda. Batizado de The Edge, o edifício tinha como principal objetivo criar um ambiente intuitivo, confortável e produtivo para os funcionários, que pudesse servir de inspiração para projetos de construções sustentáveis em todo o mundo.

 

Após a implementação de uma solução totalmente integrada de iluminação conectada a outros serviços, como controle de temperatura e de presença, foi possível fazer a coleta de dados e ter conhecimento sobre aplicações de software personalizadas, o que permitiu avançar para um modelo flexível de escritório open-plan. “Além disso, o CIO da empresa usuária afirma que as mais de 6,5 mil luminárias LED e 3 mil sensores utilizados nos mais de 40 mil metros quadrados do edifício possibilitaram uma economia de 1,8 mil euros no custo anual de espaço por funcionário”, conta Sergio Costa, Country Leader da Signify no Brasil, empresa responsável pelo projeto de eficiência energética do conjunto de escritórios da Holanda, ao Money Lab.

 

Isso foi possível porque os projetistas do The Edge usaram uma nova linha de soluções de iluminação da Signify, novo nome da empresa Philips Lighting a partir de 16 de maio de 2018. Batizado de Interact, os sistemas estão sendo lançados agora no Brasil, nas versões Interact Office e Interact Industry. “Essa linha oferece soluções completas também para iluminação inteligente de cidades, no varejo e em diversos outros segmentos. No Brasil estamos dando destaque nesse momento a esses dois novos sistemas”, completa Costa.

 

O objetivo é trazer informações por meio de análise de dados e controle para que os ambientes fiquem mais sustentáveis, seguros e confortáveis para as equipes, além, é claro, de oferecer ainda mais eficiência energética. “Composto por software e sistema de iluminação profissional conectados, o Interact integra os dados que essa solução coleta por meio de tecnologias de IoT (internet das coisas). Essa interação possibilita que a iluminação esteja conectada com outros sistemas de gerenciamento e oferece serviços que podem ser ativados a partir da análise de dados”, afirma o Country Leader da Signify no Brasil.

 

Utilizadas em projetos que são referência em design, sustentabilidade e eficiência energética, as soluções Interact já podem ser vistas em locais como Holanda, Canadá, Dinamarca, China e Singapura. O Interact Office, por exemplo, apoia o desempenho dos funcionários ao ajudá-los a encontrar salas de reunião disponíveis e permitir que personalizem a iluminação. Em seguida, os dados de ocupação das salas permitem analisar onde e como as pessoas preferem trabalhar, abrindo o potencial de economia de energia e espaço, além de ganhos de eficiência. Para isso, basta instalar a iluminação conectada por LED da Philips com sensores IoT incorporados e usar o software Interact. Com isso, é possível explorar od dadospara aumentar a eficiência do prédio e otimizar o espaço para criar um escritório inteligente sustentável.

 

Para as equipes, o ganho está no conforto e bem-estar. Estudos mostram que a visão das pessoas começa a se deteriorar, em média, por volta dos 45 anos. Isso significa que aproximadamente 34% da população potencialmente ativa já está enfrentando visão reduzida e se beneficiaria de níveis de luz mais altos para compensar. “Pesquisa conduzida pelo nosso time global confirma que a acuidade visual pode ser até 36% menor para este grupo de profissionais. Consequentemente, indivíduos possam personalizar a luz de seus ambientes de trabalho para ver o mesmo nível de detalhes e desfrutar do mesmo nível de conforto”, completa Costa.

 

O Interact Office ainda oferece gerenciamento de cena para definição de horários de luz ou programas de dimerização para fornecer a luz certa no momento certo; gerenciamento de espaço, com capacidade de captura e análise dos dados de ocupação do prédio para entender como o espaço está sendo usado, além de ajudar os funcionários a encontrar um espaço de trabalho disponível. Com esses recursos é possível se certificar de que os regulamentos de distanciamento sejam mantidos, guiando as pessoas para áreas desertas do edifício.

 

Já para os espaços industriais, o Interact Industry fornece uma plataforma de inovação para otimizar a eficiência, maximizar a economia de energia e melhorar a produtividade e a segurança dos funcionários. O conjunto de aplicativos de gerenciamento de iluminação estende o valor por meio de medições e dados, enquanto o gerenciamento de iluminação centralizado permite reduzir despesas operacionaisatravés de um melhor planejamento da manutenção. “Para os gestores, o melhor é que as decisões nas fábricas podem ser baseadas em dados em tempo real”, completa Sergio Costa.

 

Mais informações sobre os sistemas de iluminação inteligente podem ser encontrados nas páginas oficiais da Signify sobre Interact Office e Interact Industry.

https://www.infomoney.com.br/mercados/sistemas-de-iluminacao-analise-de-dados-e-iot-tornam-escritorios-e-industrias-mais-seguros-sustentaveis-e-eficientes/

Como a energia das ondas e marés gera eletricidade?

Gerar eletricidade com a energia das ondas e marés tem vantagens e desvantagens

A energia das ondas e marés é uma fonte inesgotável de energia que provém do movimento da onda em direção à costa, uma e outra vez… vezes sem conta. A energia das ondas e marés é uma das melhores formas de produzir energia a partir de fontes renováveis, e foi das primeiras a ser colocada em prática.

 

A energia das ondas e marés

O movimento das ondas em direção à costa provoca energia cinética, que é usada para colocar uma turbina a funcionar. Através de dispositivos que permitem "captar" essa energia cinética, através da elevação da onda numa câmara de ar, esta provoca a saída do ar lá contido, o movimento deste é que gira uma turbina e assim a energia mecânica da turbina transforma-se em energia elétrica. Simples.

 

A onda ao se desfazer e a água recusar, o ar faz o sentido inverso, voltando a passar pela turbina, entra na câmara de ar e volta a girar a turbina, produzindo energia elétrica.

Mas há mais formas de tirar proveito da energia das ondas e marés, como recorrer ao movimento de subida e descida da onda (ou seja, a sua oscilação) que dá potência a um êmbolo que se move para cima e para baixo dentro de um cilindro. E é esse êmbolo que colocar o gerador a funcionar.

 

Quando aplicada apenas às marés, envolve a construção de diques numa praia, ou em locais onde se saiba que há grandes oscilações da maré alta e baixa. Ora, a água armazenada no dique ao encher a maré, só vai produzir energia quando a maré estiver a vazar, ou seja, a água a sair do dique. Funciona tal qual uma barragem, mas neste caso com marés e correntes fortes.

 

Vantagens e desvantagens da energia das Ondas e Marés

São várias as vantagens e desvantagens a apontar neste tipo de recolha de energia que enumeramos de seguida…

 

Vantagens da energia das Ondas e Marés

Fonte de energia renovável e inesgotável. A energia das ondas nunca irá acabar, haverá sempre ondas a embater na costa dos países, próximo de zonas costeiras habitadas. As ondas não se limitam a apenas uma determinada temporada, elas existem todo o ano, e não precisam do homem para se formar.

 

Amigas do ambiente. Ao contrário dos combustíveis fósseis, retirar energia das ondas não gera gases prejudiciais ao meio ambiente, nem poluição. Esta energia é retirada diretamente e transformada em eletricidade através de um conjunto de geradores e bobines.

 

Várias formas de recolher energia das ondas. São várias as formas existentes para recolher energia das ondas. Desde instalar uma central com hidrogeradores, ou mesmo plataformas instaladas no mar para recolher essa mesa força das ondas (como grandes cilindros, com êmbolos no seu interior).

 

Fáceis de prever. Outra grande vantagem da força das ondas é que ao contrário de outras fontes de energia, estas são fáceis de prever, podemos mesmo calcular a sua capacidade de produção. É que a força das ondas é consistente e garante resultados muito melhores que outras fontes dependentes do vento ou exposição solar.

 

Reduz a dependência de combustíveis fósseis. Ao se optar por este tipo de produção de energia, iremos reduzir as necessidades de combustíveis fósseis e assim, diminuir as emissões de CO2 para a atmosfera.

 

Não provocamos danos na superfície da terra. Ao contrário dos combustíveis fósseis, em que temos de escavar para os encontrar.

 

Baixos custos de manutenção e funcionamento. Os coletores de energia das ondas podem ser colocados em qualquer lugar da costa, desde que haja mar… apenas existe o investimento inicial, mas de resto a longo prazo só há benefícios.

 

Desvantagens da energia das Ondas e Marés

Adequadas apenas em certos locais. É uma das grandes desvantagens deste tipo de energia renovável, pois apenas cidades próximas da costa poderão tirar partido desta fonte de energia, não é viável para todos os países, nem todas as zonas. Mas ainda assim é uma excelente fonte de energia limpa!

 

Afeta o ecossistema marítimo. Por mais limpa que possa ser retirar energia das ondas, a forma como retirada pode prejudicar alguns animais marinhos. Isso devido à maquinaria que é necessário colocar dentro da água. Pois irão perturbar a flora marítima, mudar o habitat da costa ou mesmo criar ruídos para afetarão a vida marinha.

 

Podem prejudicar as rotas de navios privados e comerciais. A instalação destas estruturas próximas da costa para capturar a energia das ondas pode levar à perturbação das rotas marítimas.

 

Dimensão da onda. A força do vento depende da dimensão da onda, ou seja, da velocidade da onda, comprimento da onda e densidade da água. É necessária uma corrente consistente de ondas para gerar uma quantidade significativa de energia a partir das ondas.

 

Tempestades reduzem o desempenho. O desempenho dos equipamentos de conversão da energia das ondas em energia elétrica é reduzido durante o tempo severo, como as tempestades.

 

Poluição visual. Os geradores de energia a partir das ondas podem ser excelentes para gerar energia elétrica, mas consoante os modelos aplicados, podemos ter poluição visual (devido ao tamanho dos equipamentos e localização dos mesmos). Também podem provocar ruído, mas este é abafado pelo som das ondas!

 

Comparado com outras formas de energia elétrica, a energia das ondas é cara. O custo de gerar eletricidade a partir das ondas do mar pode ir até os 0.20€/kWh, facto pelo qual não há muito investimento neste tipo de energia renovável. E como tal não são a fonte primária da energia renovável.

https://www.portal-energia.com/energia-ondas-mares/

quinta-feira, 17 de setembro de 2020

Informe Energia Elétrica

https://fgvenergia.fgv.br/sites/fgvenergia.fgv.br/files/informe_energia_eletrica_-_agosto_rev1_1_1.pdf



Leandro Rudnicki
Engenheiro Eletricista
CREA-SC 67.859/D
+55 45 99931-6267

--
You received this message because you are subscribed to the Google Groups "Mercado de Energia Elétrica" group.
To unsubscribe from this group and stop receiving emails from it, send an email to meefurb+unsubscribe@googlegroups.com.
To view this discussion on the web visit https://groups.google.com/d/msgid/meefurb/CANG%2BrUfPX0k7jQ4_XFSNFz%3DCwZkJaqNNzg-HKSW6DJCm3KbCFQ%40mail.gmail.com.
 
Copyright © 2013 Mercado de Energia Elétrica